ALBORADA - SAYRI ÑAN

1.14.2011

TAYTA INTI e as crianças do SOL.


Conta a história que os primeiros incas surgiram na forma de uma lenda que dizia... Tayta Inti ou, Pai Sol, observando o caos e a perdição que prevaleciam na Terra, decidiu enviar ao planeta duas crianças, com o objetivo de estabelecer a ordem. Elas surgiram das águas do Titicaca, o lago mais alto do mundo, e carregavam uma vara de ouro, presente de seu pai. O nome do primeiro inca era Manko Qhapaq (Sol); sua irmã era Mama Oqllo (Lua).
Uma outra lenda, que parece misturar-se à primeira conta que o deus Sol, Inti, e a deusa Lua, Quilla, compartilhavam um amor impossível pois nunca poderiam encontrar-se, mas existia uma profecia que dizia que, um dia, ambos amar-se-iam e desse encontro nasceria um menino e uma menina no Lago Titicaca.


Em dito dia a terra escureceu-se e Quilla uniu-se a Inti. Os que chegaram ao lago encontraram ali um homem lindo e forte, que seria conhecido como Manco Cápac, junto a uma donzela belíssima, chamada Mama Ocllo. Seu pai, Inti, ordenou a Manco ensinar aos ignorantes as artes de cultivar e criar animais, e à Mama Ocllo ensinar às mulheres a tecer e a trabalhar no lar. E  a luz do conhecimento foi transmitida aos homens e mulheres, bem como a verdadeira religião, as leis e a ordem para habitar a Terra.
Mas Inti não só entregou conselhos a seus filhos, deu-lhes uma vara de ouro, cuja função era assinalar um lugar fértil onde trabalhar a terra; esta vara enterrar-se-ia no lugar certo, no fim de sua peregrinação, onde haveriam de fundar sua capital.




Desse modo Manco Cápac e Mama Ocllo iniciaram uma viagem que durou meses e em cada lugar que a ele parecia apropriado deixava cair a vara, sem o resultado satisfatório que ele esperava. Assim continuaram sua viagem para o norte do lago sagrado, através do país dos urus, o país dos collas e o país dos aimaras, onde não receberam boa acolhida já que não viam com bons olhos aos filhos de Inti. Diz-se que em certos lugares Manco Cápac e Mama Ocllo tiveram de atravessar por cavernas e andando durante a noite. Desde uma dessas grutas – a Tambotoco, que significa lugar da origem,e que se encontra em Pacaritambo - foi que o primeiro Inca e sua esposa empreenderam sua viagem que terminaria no vale do Cuzco, onde Manco Cápac deixa Cair a vara de ouro, que se enterra até quase desaparecer, pelo que o primeiro Inca funda a cidade do Cuzco, o umbigo do mundo, em honra aos deuses.


O legado das antigas culturas andinas, como a Chavín, Paracas, Huari, Tiahuanaco e outras, foi o alicerce sobre o qual o império inca, o Grande Tahuantinsuyo, desenvolveu uma civilização agrária e teocrática que teve como sede imperial a cidade de Cuzco. A palavra Tahuantinsuyo é composta por dois vocábulos quechuas: Tawa, que significa Quatro e Suyo, que quer dizer Estado.
Os Incas foram treze: Manco Cápac, Sinchi Roca, Lloque Yupanqui, Mayta Cápac, Cápac Yupanqui, Inca Roca, Yáhuar Huaca, Huiracocha, Pachacútec, Túpac Yupanqui, Huayna Cápac, Huáscar e Atahualpa. Apareceram dominando o vale por volta de 1200 dC e constituíram o Imperio Inca, o GrandeTahuantinsuyo, em menos de um século.
Os espanhóis os descreveram como Filhos do Sol "Hijos del Sol". Para os habitantes do Imperio Inca, o Tahuantinsuyo, tratava-se de seres divinos que tinham a capacidade de tornar sagrado tudo aquilo que os rodeava.
É difícil imaginar que os Incas tenham conseguido organizar o Império Inca, o Grande Tahuantinsuyo, em menos de um século. Segundo as crônicas, o grande organizador do estado imperial incaico foi o inca Pachacútec, que decidiu expandir seus territórios vencendo aos Chancas. Alguns duvidam que o povo Chanca tenha existido e dizem que o nome Chanca poderia simbolizar alguns grupos étnicos fronteiriços. O certo é que as conquistas começaram a partir do ano 1430 dC e o império Inca, o grande Tahuantinsuyo, se extendeu até os limites acima mencionados.